Em janeiro de 2017 o Chrome e Firefox começaram a marcar sites que possuíam dados sensíveis e não possuíam SSL como inseguros. Agora o Google anunciou que em julho, o Chrome começará a marcar qualquer site que use HTTP como “não-seguro”.

É um esforço para que todos os sites usem criptografia para proteger a comunicação de ataques de hackers.

HTTPS é uma variação do HTTP adicionando uma camada de segurança nos dados transferidos por meio de uma conexão SSL/TLS.

O Google anunciou isso há mais de um ano

O Google anunciou seus planos para a transição em setembro de 2016. Lá em 2016, quando anunciou a marcação o Google já havia sinalizado que ia fazer essa marcação em fases. A execução em fases é para dar aos proprietários de sites tempo suficiente para fazer a alteração.

Em janeiro de 2017, o Google começou a marcar páginas que coletavam informações sensíveis como “não-seguras”. Dados como dados de cartões de crédito ou senhas.

Durante o resto do ano, a empresa começou a expandir esses avisos para outros tipos de páginas HTTP também. As versões subsequentes do Chrome começaram a marcar as páginas HTTP como “não-seguras” quando os usuários estavam no modo anônimo. O mesmo para quando inseriram dados em uma página da web.

Dois terços do tráfego do Chrome atualmente é HTTPS

Como resultado desses esforços, 68% do tráfego do Chrome em sistemas Windows e Android estão atualmente protegidos por HTTPS. Cerca de 80% do tráfego do Chrome no Chrome OS e Mac é protegido da mesma forma, e 81 dos 100 maiores sites atualmente usam HTTPS.

Desde 2014, o próprio Google vem implantando o SSL em seus inúmeros serviços. Atualmente, vários de seus principais serviços, incluindo o Gmail e o Google Drive, possuem seu trafego 100% SSL, enquanto outros serviços, como o YouTube e o Google Agenda, estão em torno de 99%.

Volume de tráfego criptografado vem aumentando em todo o mundo

Os números mantidos pela empresa mostram que o volume de tráfego da web criptografado no Google está bem acima de 90% em muitas regiões do mundo.

A porcentagem de tráfego para o Google criptografada na Indonésia, no Reino Unido, na Rússia, no México, no Japão, no Brasil e na Rússia é igual ou superior a 95%.

Os EUA e o Canadá são retardatários relativos – apenas cerca de 87% do tráfego da web para o Google nesses dois países é criptografado.

Essa sinalização de site inseguro é vista de forma negativa por usuários, aumentando a rejeição e a adesão de clientes, não espere seu site ser sinalizado dessa maneira, entre em contato conosco.

 

Quer saber mais sobre os serviços prestados pela ServerDo.in? Entre em contato.

Nome

E-mail

Telefone

Assunto

Mensagem