Com a evolução da computação em nuvem, vários conceitos e tecnologias foram sendo criados. O conceito de contêiner com suas soluções como Docker e LXD trouxeram grandes vantagens para a criação, manutenção e escalabilidade de ambientes. Através de contêiners você pode criar uma frota para atender aquele pico de carga que seu sistema ou portal vai enfrentar sem a necessidade de configurar dezenas ou até centenas de serviços um a um.

 

Leia também: Woo Commerce: venda sozinho na internet a partir de R$19 reais por mês.

 

O que é um contêiner?

Contêiner é um ambiente isolado dentro de um sistema operacional.  Através de contêineres, é possível executar aplicações em diversos ambientes, sem a preocupação de instalação ou reconfiguração das mesmas para cada caso. Além disso, em virtude do isolamento, permite a realização de testes com diferentes versões da mesma aplicação sem a existência de conflitos e sem exigir muito do equipamento físico, como ocorre nas as máquinas virtuais.

 

Tecnologias de conteinerização

Há várias ferramentas que provêm tecnologia de contêineres, como Docker, LXC, LXD, RKT.

 

  • Docker

 

É uma das mais famosas, e que tem o foco nos chamados micro serviços, ou seja, o mínimo necessário para se executar uma aplicação, como o Nginx, por exemplo. Dizemos, assim, que o Docker é orientado à aplicação que será executada.

Ele é amplamente utilizado por grandes empresas, como Red Hat, Google, Facebook.

Serve de estrutura base para gerenciadores como Kubernetes, OpenShift, Rancher Server.

Possui um vasto repositório com milhares de aplicações já prontas para serem usadas, como Nginx, Apache, WordPress, Plesk, Jenkins, MySQL, Influxdb, PHP, Tomcat e muitas outras.

 

  • LXC/LXD

 

Outra bastante popular e que surgiu no início dos anos 2000, foi o LXC e, posteriormente, o LXD, que é desenvolvido em cima do LXC pela empresa desenvolvedora do Ubuntu, a Canonical. 

 

Leia também: Como funciona o Cloud Gerenciado da ServerDo.in?

 

Contêiner LXC vs. Docker vs. Máquina Virtual

 

Uma das principais diferenças é a não virtualização de um hardware físico para um hardware virtual, dessa forma, evita-se a perda de cerca de 40% no desempenho, já que todos os processos serão executados diretamente em cima do hardware físico. Além disso, alguns recursos são compartilhados de forma inteligente com a máquina hospedeira, como a memória cache, o que torna o uso de memória RAM bem diminuto.

Com relação ao uso de armazenamento, os modelos de sistemas operacionais em contêineres ocupam muito menos espaço, já que muitas estruturas que são necessárias para um sistema operacional completo funcionar, não são necessárias em um contêiner.

  • No contêiner LXC

Que tem uma estrutura de aplicações mais próximas das máquinas virtuais, há toda a vantagem de um contêiner combinada com a complexidade de uma máquina virtual. Ele inicia em segundos e é facilmente escalável, além de prover um ambiente seguro, através de implementações nativas do kernel Linux.

  • No contêiner do tipo Docker

Há a ideia de micro serviços, que são aplicações isoladas prontas para serem usadas, como um Nginx, MySQL, Redis, ElasticSearch, Apache, entre outras. A grande vantagem do Docker é que seu foco é justamente em aplicações individuais, tendo todas as camadas de isolamento para prover um ambiente seguro. Claro que é possível remover essas camadas conforme a necessidade, como, por exemplo, expor um dispositivo USB dentro do contêiner, ou acessar alguns recursos específicos do kernel Linux.

Devido à sua ampla utilização, o Docker possui muitos casos de uso, o que facilita em caso de alguma dúvida.

 

Cloud Gerenciado em Contêiner

Ter uma Cloud Gerenciada em Contêiner tem muito menos custos e muito mais desempenho do que em uma máquina virtual. O motivo principal é a não virtualização de hardware, ou seja, os processos executados tem o desempenho total do que o hardware pode oferecer, ainda que os recursos sejam manualmente limitados. Na prática, uma máquina virtual com 8 CPUs tem cerca de 40% menos desempenho que um contêiner que pode alocar também 8 CPUs. Além disso, o uso de armazenamento e memória RAM é muito menor e o tempo de inicialização não demora nem 10 segundos.

Com o LXC, há toda a complexidade de uma máquina virtual com a eficiência monumental de um contêiner. Custa menos para a empresa e, por consequência, menos para o cliente.

 

Ficou com alguma dúvida ou quer saber mais como funciona? Entre em contato com a gente!

 

Leia também: Java: contrate a hospedagem da ServerDo.in

O que a equipe da ServerDo.in está pesquisando, assistindo e compartilhando você vê aqui no Fala Galera no Blog da ServerDo.in.

Conteúdo criado pelos colaboradores da ServerDo.in para você saber sobre o nosso mundo.

Alguma dúvida? Fale conosco!

Nome

E-mail

Já é nosso cliente?

Assunto

Mensagem