Por Tatto de Castro, sócio-fundador da ServerDo.in

As eleições municipais de 2020 estão confirmadas e, por causa da pandemia do coronavírus, não vão ocorrer em outubro, mas sim em novembro, nos dias 15 (primeiro turno) e 29 (segundo turno), como prevê a PEC (Proposta de Emenda Constitucional) aprovada pelo Congresso Nacional. Para os sites e portais de notícias, é a oportunidade de mostrar serviço para seus leitores ainda mais aqueles com foco local, uma vez que estaremos elegendo novos prefeitos e vereadores.

Por isso, é preciso estar preparado para a cobertura das eleições e, principalmente, para o momento da apuração online dos votos. Ao longo dos anos, a ServerDo.in tem acompanhado de perto o trabalho das redações dos sites e portais de notícias voltado para as eleições. Damos suporte para a criação de canais dedicados ao assunto e cuidamos de toda a infraestrutura necessária para a exibição da contagem dos votos em tempo real.

A partir dessa experiência, apresentamos a seguir dicas e cuidados que merecem atenção dos gestores de sites e portais de conteúdos. Ao final, disponibilizamos para download gratuito um checklist com as ações necessárias para uma cobertura eficiente das Eleições 2020.

Dica para organizar a cobertura das eleições

No planejamento da cobertura das eleições, muitos aspectos merecem atenção. Pedi ao nosso parceiro Alexandre Gonçalves, jornalista, especializado em conteúdo digital e editor do blog Primeiro Digital, e com experiência na cobertura de eleições, para destacar alguns dos pontos relevantes para o acompanhamento do processo eleitoral.

  • Equipe dedicada

Monte uma equipe para se dedicar 100% à cobertura das eleições – ou o máximo de tempo possível dentro da carga-horária de cada profissional. A sugestão é ter um editor, um subeditor e dois repórteres que possam produzir e publicar os conteúdos. Também é importante contar com o apoio do departamento de infografia, de webdesign e de mídias sociais, além do reforço de outros integrantes da redação no dia da eleição.

  • Hotsite

É de praxe que a cobertura das eleições ganhe um site especial ou um hotsite onde os leitores encontram todo o conteúdo do assunto reunidos em um único endereço. É mais do que ter uma editoria. Isso ajuda o leitor a localizar as informações, mas também ajuda na comercialização da cobertura. Banners e outros formatos ganham maior visibilidade numa área exclusiva sobre eleições.

  • Pautas especiais

Além da cobertura factual, como a definição e a agenda dos candidatos, além dos informações da Justiça Eleitoral, é interessante pensar em conteúdos especiais. Como estamos falando de eleições municipais, é interessante produzir, por exemplo, reportagens que indicam quais são as demandas mais urgentes de cada município, dentro da área de abrangência do site/portal. Além de ser um conteúdo de utilidade público, este tende a ser também um conteúdo com potencial de engajamento e repercussão.

  • Prestação de serviço

Apoiado pela Justiça Eleitoral, o site ou portal de notícias pode e deve investir em conteúdo com foco na prestação de serviço para o eleitor. Pode-se montar agendas e guias sobre o processo de votação na linha do “tudo o que o eleitor deve saber sobre as eleições municipais”. Isso inclui tópicos como locais de votação, mudanças nas zonas eleitorais e, neste ano, também cuidados em relação ao Covid-19.

A prestação de serviço pode ser feita por meio de um chatbot, abastecido pela redação ou por fornecedor de conteúdo terceirizado, e que responda sobre as principais dúvidas dos eleitores. O “bot” pode está dentro do site e até mesmo interagir no WhatsApp em número específico. A equipe da ServerDo.in pode auxiliar na configuração do chatbot.

  • Fake news

A cobertura das eleições pode incluir como uma das suas vertentes a questão das fake news. A equipe pode ficar atenta, acompanhar as agências e projetos de checagem de fatos (como Aos Fatos e Projeto Comprova) e procurar manter os eleitores informados sobre possíveis notícias falsas relacionados ao processo eleitoral. Se possível, o site ou portal de notícias pode até estimular que leitores enviam boatos que estejam recebendo para verificação.

  • Conteúdos em formatos especiais

Na oferta de conteúdo sobre eleições, havendo essa possibilidade, o site ou portal pode investir em formatos diferenciados. Destaque para os podcasts que podem resumir em áudio as informações sobre o pleito, além de agregar entrevistas e debates como comentaristas e convidados.

Cards e infográficos para compartilhamento em redes sociais são formatos que também podem agregar valor à cobertura. Testes como “como anda sua memória”, questionando o eleitor sobre em quem votou nas últimas eleições, ou “o que você precisa saber sobre as eleições 2020” também funcionam na atração de visitantes.

  • Interatividade com candidatos

Houve tempo em que a grande novidade nas eleições eram os chats com candidatos, usados como forma de entrevistá-los tendo a participação dos leitores enviando perguntas ao vivo.

Uma forma de realizar a interação com candidatos é utilizar a transmissão de entrevistas ao vivo em vídeo (as famosas lives), com espaço para interação com público, mas sempre com atenção para evitar problemas com a Justiça Eleitoral por causa de comentários indevidos e tempo de exposição do candidato. É necessário também planejamento e atenção a detalhes, analisar questões como a qualidade da internet para realizar a transmissão da live.

  • Interatividade com leitores

Abrir canais para a participação do público é sempre importante. Nas redes sociais, crie uma hashtag específica para a cobertura do veículo. Use Eleições + Nome ou abreviação do nome do site/portal.

Mas abra também espaço dentro da plataforma. Criei um “diário do eleitor” onde poderá ser possível enviar artigos, dúvidas, fotos, sugestões de pauta e até denúncias para verificação. Após filtro e checagem, esse conteúdo gerado pelo leitor pode ser publicado no site e servir de atração para novas participações.

  • Aproveitamento comercial

O projeto comercial da cobertura das eleições deve caminhar junto com o projeto editorial. O hotsite deve prever espaço para banners, por exemplo, e conteúdos especiais, como guias e afins, podem ser patrocinados.

Pode-se aderir à mídia programática realizado o aproveitamento do inventário, mas o mais comum é que a cobertura tenha patrocínios e apoios institucionais. Não costuma ser um projeto que atraia o varejo. Entidades de classe e de empresas costumam se interessar por investir neste tipo de cobertura.

  • Suporte legal

É fundamental que gestores e editores estreitam o relacionamento com a Justiça Eleitoral e tirem proveito disso para estar a par da legislação para que erros não sejam cometidos. Importante contatar as equipes de comunicação do TRE para receber as atualizações e assim cumprir rigorosamente o que é permitido na cobertura das eleições. Vale para todos, mas especialmente para quem (profissional ou veículo) está estreando no processo eleitoral.

Se o veículo contar com uma assessoria jurídica, é interessante também envolvê-la no processo, mesmo que não seja especializada em legislação eleitoral. Quanto maior conhecimento técnico envolvido, melhor.

  • Suporte técnico

Por fim, nenhuma cobertura especial de eleições pode ser realizada sem um suporte técnico para garantir toda a infraestrutura necessária para um trabalho de qualidade. Isso vai do desenvolvimento do site até a configuração do servidor para mantê-lo no ar durante o pico de acessos no momento da apuração em tempo real.

Por isso, é importante haver sempre uma antecipação no planejamento. Desde cedo deve-se definir o que se pretende fazer para que o suporte técnico trabalhe com tempo para deixar tudo funcionando e, assim, evitar surpresas desagradáveis como a queda do site no meio da apuração, por exemplo.

Planejar a apuração

Como destacado anteriormente pelo jornalista Alexandre Gonçalves, já na fase de planejamento, é importante tratar com antecedência uma providência fundamental na cobertura: viabilizar a apuração em tempo real no site/portal. E isso começa, contatando o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) ou o TRE (Tribunal Regional Eleitoral) a fim de verificar os prazos para testes de recebimento dos dados sobre os votos.

Ao longo do ano o TSE promove reuniões e disponibiliza testes que permite os sites aprimorar o recebimento e a apresentação dos votos. A ServerDo.in costuma assumir essa tarefa junto aos clientes e se responsabiliza pelos testes.

Esta etapa é importante para deixar a comunicação entre os canais. Apesar do volume enorme de acessos o sistema do TSE funciona de maneira estável durante a apuração. Se o único canal para acompanhar a apuração fosse o TSE, o sistema com certeza não aguentaria o volume de acessos e a informação seria passada de maneira muito mais lenta.

Por isso, a importância dos sites se prepararam corretamente para prestar esse serviço importante para os eleitores. Os testes ajudam nisso. Com muito mais opções de onde se obter a informação sobre a apuração eleitoral nenhum dos canais fica sobrecarregado embora todos tenham um aumento significativo na sua audiência.

Como funciona a apuração dos votos em tempo real (e como manter o site no ar)

A apuração em tempo real funciona assim:

O TSE possui um sistema de disponibilização de dados que vem sendo aperfeiçoado nas últimas seis eleições e libera as informações para que sites, TVs e agências de notícias os utilizem em suas coberturas.

Os votos são apurados localmente pelos Tribunais Regionais Eleitorais que recolhem todas as Memórias de Resultado com os dados das votações das urnas, sumarizam e transmitem por uma rede segura do TSE para atualizar do sistema de votação. O tribunal disponibiliza um programa que é desenvolvido em Java e que se conecta na rede segura do TSE e faz download de vários arquivos com extensão .xml.

Esse arquivo é colocado em uma pasta e a equipe técnica do site tem que fazer um programa que lê esses arquivos .xml e os insere no banco de dados ou criem as páginas com resultado.

Quando a apuração dos votos em tempo real começa, o problema mais comum é causado por um pico de acesso. Sites que trazem resultados de eleição terão crescimento de audiência de mais de 500% durante a apuração.

Com o pico de acesso o problema mais comum é o site que não está acostumado a ter aquele volume de acesso ficar fora do ar por causa de excesso de tráfego ou da sobrecarga de servidores. Por isso é importante alinhar com a equipe técnica que aquela é uma data especial e que ajustes devem ser feitos levando em consideração o aumento da audiência.

Para aguentar o pico de acessos, é preciso estruturar o servidor de hospedagem de modo adequado, prevenindo sobre o aumento na audiência. A equipe de infraestrutura deve possuir um benchmarking, saber quantas pessoas fazendo acessos simultâneos o seu site tem capacidade de aguentar com a estrutura atual.

A partir disso, é preciso estimar o crescimento do volume de acesso. A análise histórica de nossos clientes nos leva a crer que o crescimento chegue a ser de 500% da média normal para um dia de semana, não para um domingo.

Mas com a divulgação através de redes sociais, o link da página de apuração de um site pode viralizar e isso criar um cenário de crescimento de 1.000% a 2.000% na audiência. É recomendado um aumento preventivo da capacidade ou então ativação de regras de cache para ganho de escala no volume de acessos.

Além disso, o acompanhamento durante a apuração é fundamental. Deve existir um alinhamento entre as equipes técnicas e editoriais nos meios de comunicação.

No caso dos clientes da ServerDo.in, buscamos aplicar uma otimização no uso da infraestrutura de servidores e trabalhar com cache de conteúdo. É fundamental um alinhamento entre a equipe editorial e a equipe técnica que deve estar ciente do aumento no volume de acessos.

Preparamos um checklist exclusivo para o planejamento da cobertura e da apuração das Eleições. Preencha o formulário abaixo e recebe em seu e-mail gratuitamente.

Checklist Eleições para sites e portais de notícias

 

Crédito de fotos: Agência Brasil


Leia também:

ServerDo.in hospeda mais de 90 portais de notícias

Hospedagem especializada em portais de notícias? Conheça!

Como monetizar seu site ou blog com o Google Ad Manager

Portais de notícias: Fature R$ 35 mil para cada milhão de pageviews